História de Passo Fundo pelas lentes fotográficas

História de Passo Fundo pelas lentes fotográficas

Fabi Beltrami traz para o 16º Encontrão do Grupo Foto Sul a fotografia como registro histórico

A fotógrafa, historiadora, jornalista e curiosa Fabiana Beltrami é uma das convidadas do 16º Encontro Nacional do Grupo Foto Sul, que acontece no dia 25 de setembro no Gran Palazzo. Lendo nas entrelinhas de imagens, registros e carimbos, Fabiana conversa, pesquisa e retrata Passo Fundo e procura decifrar os primórdios da fotografia analógica da nossa cidade.

Ela estará no evento apresentando a exposição “A fotografia em Passo Fundo: fotogramas de uma história em captura”, coletiva, incompleta, em construção que reúne parte dos nomes, imagens, instrumentos, técnicas e olhares que compõem a história da fotografia analógica em Passo Fundo.

A exposição é resultado da união de algumas de suas paixões: a história e a fotografia. Sua pesquisa começou em 2013, enquanto cursava Mestrado em História. “Comecei conversando e entrevistando alguns fotógrafos do período analógico e depois aprofundando com outras fontes – documentos públicos, jornais impressos, publicações e as próprias fotografias pertencentes a arquivos pessoais ou de entidades de guarda,” conta Fabi.

Pensando em compartilhar perguntas, descobertas e curiosidades, em 2017 o Instituto Histórico de Passo Fundo a convidou para fazer uma exposição fotográfica com imagens da cidade feitas por ela, que sugeriu que tivesse ligação com a sua pesquisa pois, até então não a tinha materializado. “Tratei da pesquisa de uma forma não convencional, como em artigos, textos, etc; e sim, a través de uma exposição de objetos, documentos, fotografias,” explica.

Considerada uma entusiasta da fotografia Fabiana apresentará aos participantes do 16º Encontro Nacional Grupo Foto Sul parte da história da fotografia em Passo Fundo, seguido de uma conversa sobre a importância da fotografia como registro histórico.

Essa não é a primeira participação de Fabiana nos Encontrões do Grupo Foto Sul. Ela, que considera o evento de extrema importância para atualização e trocas de experiências, além de ser um espaço para conhecer pessoas e rever amigos.

“O último encontrão Foto Sul foi especial. Foi onde eu e um amigo, o Gelsoli Casagrande, que também é fotógrafo, conversamos com vários profissionais do período analógico e, conversa vai, conversa vem, agendamos uma data para uma janta do 1º Encontro dos Fotógrafos Analógicos. Foi muito emocionante, para mim e para eles,” recorda a entusiasta da fotografia. Fabiana reitera o papel histórico de empresas que, mesmo diante da digitalização da fotografia, mantém a memória do processo fotográfico viva. “É muito importante ter o apoio do Grupo Foto Sul porque a história deles se cruzam e fazem parte da história da fotografia em Passo Fundo. Eles foram precursores na cidade, e na região, na área da impressão e do atendimento ao público, e na contribuição da profissionalização da fotografia na cidade além do que, o seu fundador Rogério Scortegagna, sua esposa Silvia, trabalharam no período analógico, tendo muita história para contar,” ressalta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *